VÁRZEA, O LUGAR QUE DÁ ENCHENTE

abril 06, 2021



Você já reparou que é só começar a chover por vários dias seguidos que as pessoas começam a ficar com medo que vai dar enchente? E quando ameaça mesmo de dar enchente todo mundo olha para o rio para acompanhar se o seu nível está aumentando depressa ou não?

Os prejuízos de uma enchente são enormes. É água que invade ruas, casas, lojas, pastagens e até pessoas e animais podem morrer. Mas você sabia que muitos desses prejuízos acontecem por causa de nós mesmos humanos? E isso tudo tem haver com o uso indevido que nós fazemos da várzea do rio.


Uma várzea ou também chamada planície de inundação é o lugar que dá espaço para o rio encher, esvaziar e se mover. A várzea ocorre no baixo curso de um rio, no fundo de um vale, quando ele está próximo de alcançar o mar em sua foz. Se olharmos do alto, Tijucas tem uma grande planície de inundação e, por isso, são tão comuns as enchentes em nossa cidade.  

Os rios ao longo do tempo não têm a mesma quantidade de água e nem seguem um mesmo trajeto. De tempos em tempos, quando chove muito, eles enchem, extravasam sua calha habitual e inundam suas margens na área de várzea e, com isso, também podem mudar o seu curso. Assim, a várzea também faz parte do rio e por isso ela deve ser preservada!


O grande problema é que ao invés de preservarmos a várzea, fazendo um uso equilibrado da mesma, nós estamos descaracterizando-a totalmente. É só olhar para qualquer rio que passa por uma cidade. A sua mata ciliar geralmente foi destruída e no seu lugar construímos ruas, casas, comércio. No interior não é muito diferente. É bem fácil observarmos uma estrada ou uma pastagem ou plantação ocupando o lugar das árvores que deveriam existir próximo do rio.


Não é a toa que as margens dos rios são áreas de preservação permanente, de acordo com o Código Florestal Brasileiro. Se fizermos nossas construções, pastagens, plantações e aterros bem próximo dos rios, teremos, de tempos em tempos, prejuízos com as enchentes e alagamentos. O rio precisa ocupar o espaço que é dele!

Se temos prejuízos com as enchentes, a culpa não é da natureza, mas sim do próprio homem! Não seria muito mais fácil e lógico construirmos nossas casas e fazermos as pastagens, plantações e estradas distantes do rio?


Infelizmente muita coisa é difícil de ser mudada. A colonização e construção das cidades ao redor dos rios é algo histórico no Brasil, pois nesses lugares havia terra boa para o plantio e também fácil acesso à água que não era encanada no passado. E nessas áreas de ocupação mais antiga, temos que aprender a conviver da melhor maneira possível com as enchentes, de maneira a minimizar os seus impactos negativos. Mas ainda existem muitas áreas de várzea que estão servindo para a expansão urbana de maneira inconsequente, o que, num futuro próximo, vai agravar ainda mais um problema que já é sério.

Tendo em vista tudo isso, se quisermos evitar os prejuízos das enchentes, temos que agir! E você pode ajudar fazendo a sua parte. Denuncie para a Polícia Ambiental e demais órgãos de fiscalização ambiental os aterros e construções que são feitas de maneira irregular nas planícies de inundação dos rios. Acompanhe e exija dos vereadores e governantes de sua cidade a realização de ações e políticas que protejam o meio ambiente. Assim, você estará ajudando a si mesmo e, também, muitas pessoas ao seu redor.

Agora que você já sabe tudo sobre várzea, que tal responder ao nosso questionário? Assim, você exercita todo o conteúdo que aprendeu.



You Might Also Like

2 comentários

  1. Valeu, Aline! Educação Ambiental é um tema sempre importante. Abraço,

    ResponderExcluir
  2. Importante ação socioambiental da Associação Caminho das Águas de Tijucas (ACAT). Trabalhar a Educação Ambiental, principalmente os cuidados com os rios é muito importante. Um abraço, da equipe da Secretaria Municipal de Comunicação de Governador Celso Ramos aos nossos amigos da ACAT.

    ResponderExcluir