DOCUMENTÁRIO MOSTRA FEITIO DAS CANOAS DE GARAPUVU EM CIDADES DO LITORAL CATARINENSE


Pescar é muito mais que um ganha-pão; é arte – especialmente no que diz respeito ao lado artesanal. Considerado patrimônio cultural, a canoa de garapuvu vai além de uma embarcação, uma vez que simboliza resistência no meio pesqueiro. Essa tradição, inclusive, virou pauta de um documentário realizado pela Associação Caminho das Águas do Tijucas (ACAT), em parceria com o Instituto Esmeralda.

Produzido em 2018, o documentário titulado “Canoa Bordada de Garapuvu: a embarcação de um pau só” ainda rende bons debates culturais nas salas de aulas do litoral catarinense, fato este que fora presenciado nas últimas semanas pelo técnico ambiental da ACAT, William Wollinger Brenuvida, e pelo engenheiro de aquicultura Tiago Manenti Martins. “Acreditamos que é uma maneira interessante de mostrar essa tradição para os jovens, num formato mais atrativo, utilizando o cinema. Esperamos enriquecer o debate e proporcionar um momento de reflexão sobre esse aspecto importante da nossa cultura para os alunos”, afirma Tiago.


O curta tem aproximadamente 30 minutos e aborda a prática artesanal ancestral, focalizando na pesca e no feitio de canoas construídas com um pau só nas cidades litorâneas de Santa Catarina, sendo destaque: Tijucas, Itapema, Bombinhas, Porto Belo, Biguaçu, Governador Celso Ramos e Florianópolis, que por sinal são também os municípios a receber a mostra cultural em questão.

As exibições do vídeodocumentário se estendem até a próxima sexta-feira (30). No entanto, novas atividades envolvendo o projeto serão desenvolvidas em escolas e entidades durante todo o período da safra da tainha, isto é, de 1º de maio a 31 de julho, garantindo assim a disseminação da informação e a formação sociocultural dos jovens catarinenses.


A apresentação e circulação do documentário é uma realização do Instituto Esmeralda e da ACAT, com apoio da Colônia de Pescadores de Z-25 de Tijucas e do Lions Clube de Tijucas. Vale ressaltar também que o projeto foi  selecionado pelo Edital Aldir Blanc 2021, sendo financiado com recursos do Governo Federal e da Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural, por meio da Fundação Catarinense de Cultura.

 

Assista o documentário:


0 Comentários